quinta-feira, 2 de dezembro de 2021

Só nos beijos dela...

 


 

Beijou-me deliciosamente.
Não fora o primeiro, mas, o outro que veio, chegou, assim, carinhosamente.
Fechou seus olhos e beijou-me novamente,
sem reservas e dando-se, entregou-se plenamente.
Sentindo seu coração palpitar e o seu corpo trêmulo,
Dei-me por inteiro e me fiz todo seu também,
Minhas mãos tocavam às suas,
Éramos um só desejo: o amor, a concupiscência.


Um beijo, outro e mais outro e tantos e tantos...
Veio o amor, o cheiro das rosas e o silêncio de tudo
no aconchego do que era feito.
E os corpos, domados pela entrega total,
adormecidos e inebriados, nada mais pediam.
Ali estávamos, sem murmurar e sem mais dizer uma só palavra,
Em nossos olhos, porém, tudo era dito e sentido.
Depois da entrega total e do amor feito,
O que restou foi a plenitude do nosso amor em beijos.
 
- jose valdir pereira -

 

                                       American hippies backpacking through Europe, 1969

Nenhum comentário: