quarta-feira, 28 de julho de 2021

Por que esperar...

 




Por que esperar que eu morra para escrever algumas palavras, exaltando minha vida enquanto estive aqui, dedicando-me às melhores causas da vida, ao amor, à poesia, às artes, de forma plena e eivada de determinação, com o fito de contribuir de alguma maneira com o bem-estar da humanidade ou, para não se atrever a tanto, pela melhor e maior felicidade dos que pude alcançar?

Seria algo tipo macabro e desalmado, esperar ver-me primeiro sem vida, sem sangue, já no jazigo, onde uma fria e sombria lápide, cercada de flores (rosas, gerberas, lírios e girassóis), teria a singela mensagem, aqui jaz aquele que teve uma importância significativa para o desenvolvimento e fomento da cultura, da educação e da pessoa?

Não seria melhor fazer esse reconhecimento, desfrutando das emoções e da alegria que o homenageado demonstraria ao ver recompensado seu esforço, sua dedicação e seu trabalho ao bem-comum de todos e, sem a devida modéstia, à humanidade?

É muito hipocrisia, chorar a partida de alguém, deixando-o partir sem ter-lhe mostrado, em vida, o quanto uma parcela significativa da sua comunidade demonstra-se agradecida pelos seus iluminados feitos?

Seria oportuno dizer que estamos mais frígidos, desumanos, perdidos no vazio da vida, sem valor e sentido, por não percebermos e nem vivermos valores e virtudes que consagraram nossos antepassados?

Perdemos nosso amor ao ser supremo, de quem sempre ouvimos falar, à quem encontrávamos nos livros a ser nossa sustentação, abrigo e fortaleza, para o viver bem nesta vida e auferir, por sua graça, a vida eterna?

Que justiça fazemos para nossos antepassados, que legou-nos tradições, costumes e modos de vida, heranças bem cuidadas, atestadas e registradas nas atas da história da família, da comunidade e da vida?

Somos, por isso, quase nada ou nossa pobreza é a nossa maior riqueza? Esse é o nosso fim depois de toda essa caminhada, percorrendo milhões e milhões de anos?


- jose valdir pereira -

 

terça-feira, 27 de julho de 2021

A maneira mais rápida de se chegar ao coração....


 

Meu amor virá...


 

Se quiseres me encontrar...


 

Se o nosso amor...


 

A menor distância...


 

Faça um verso feiinho, mas faça...


 

Ao te amar...


 

Levítico - 18:1-30 Leis acerca dos comportamentos

 

Falou mais o SENHOR a Moisés, diz Fala aos filhos de Israel, e dize-lhes:

                              Eu sou o SENHOR vosso Deus.

       Não fareis segundo as obras da terra do Egito,

                               em que habitastes, nem fareis segundo as obras da terra

                                               de Canaã, para a qual vos levo,

                                                               nem andareis nos seus estatutos.

Fareis conforme os meus juízos,

                               e os meus estatutos guardareis, para andardes neles.

                                               Eu sou o SENHOR vosso Deu Portanto, os meus estatutos e os meus juízos guardarei

                               os quais, observando-os o homem, viverá por eles.

                                      Nenhum homem se chegará a qualquer parenta da sua carne,

                        Não descobrirás a nudez de teu pai e de tua mãe:

                               ela é tua mãe; não descobrirás a sua nudez.

           de teu pai;

                               é nudez de teu pai.

     A nudez da tua irmã, filha de teu pai, ou filha de tua mãe,

                               nascida em casa, ou fora de casa,

                                               a sua nudez não descobrirás.

  A nudez da filha do teu filho, ou da filha de tua filha,

                               a sua nudez não A nudez da A nudez da irmã de teu pai não descobrirás;

          A nudez da irmã de tua mãe não descobrirás;

                               pois ela é parenta de tua mãe.

          escobrirás;

                               não te chegarás à sua mulher; ela é tua tia.

                Lv 18:15 A nudez de tua nora não descobrirás:

                               ela é mulher de teu filho; não descobrirás a sua nudez.

                Lv 18:16 A nudez da mulher de teu irmão não descobrirás;

                               é a nudez de teu irmão.

                Lv 18:17 A nudez de uma mulher e de sua filha não descobrirás;

                               não tomarás a filha de seu filho, nem a filha de sua filha,

                                               para descobrir a sua nudez; parentas são;

                                                               maldade é.

                Lv 18:18 E não tomarás uma mulher juntamente com sua irmã,

                               para fazê-la sua rival, descobrindo a sua nudez

                                               diante dela em sua vida.

                Lv 18:19 E não chegarás à mulher durante a separação

                               da sua imundícia, para descobrir a sua nudez,

                Lv 18:20 Nem te deitarás com a mulher de teu próximo para cópula,

                               para te contaminares com ela.

                Lv 18:21 E da tua descendência não darás nenhum para fazer passar

                               pelo fogo perante Moloque;

                                               e não profanarás o nome de teu Deus.

                                                               Eu sou o SENHOR.

                Lv 18:22 Com homem não te deitarás, como se fosse mulher;

                               abominação é;

                Lv 18:23 Nem te deitarás com um animal,

                               para te contaminares com ele;

                                               nem a mulher se porá perante um animal,

                                                               para ajuntar-se com ele; confusão é.

                Lv 18:24 Com nenhuma destas coisas vos contamineis;

                               porque com todas estas coisas se contaminaram as nações

                                               que eu expulso de diante de vós.

                Lv 18:25 Por isso a terra está contaminada;

                               e eu visito a sua iniqüidade,

                                               e a terra vomita os seus moradores.

                Lv 18:26 Porém vós guardareis os meus estatutos e os meus juízos,

                               e nenhuma destas abominações fareis, nem o natural,

                                               nem o estrangeiro que peregrina entre vós;

                Lv 18:27 Porque todas estas abominações fizeram

                               os homens desta terra, que nela estavam antes de vós;

                                               e a terra foi contaminada.

                Lv 18:28 Para que a terra não vos vomite,

                               havendo-a contaminado, como vomitou a nação

                                               que nela estava antes de vós.

                Lv 18:29 Porém, qualquer que fizer alguma destas abominações, sim,

                               aqueles que as fizerem serão extirpados do seu povo.

                Lv 18:30 Portanto guardareis o meu mandamento,

                               não fazendo nenhuma das práticas abomináveis

                                               que se fizeram antes de vós,

                               e não vos contamineis com elas.

                                               Eu sou o SENHOR vosso Deus.




 

 

 

segunda-feira, 26 de julho de 2021

Sempre vou à janela...


 


 

Se vires alguém...


 

A menor distância...


 

Meu amor virá...


 

Se o nosso amor...


 

O melhor de mim...


 

Quando chegares...


 

Sempre vou à janela...


 

Um amigo


 

Desejo que meu coração...


 

Disseram-me as flores...


 

Se um dia te perderes de mim


 

Como se chegar ao coração...


 

Amo-te como te amo...


 

Fazer amor com o coração


 

Se vais amar...


 

Tu és meu jeito feliz de viver


 

Acolhe minha alma....


 

Quando um poeta nasce


 

Guarda-me, ó Deus, porque em Ti confio

 

Salmos 16 

Guarda-me, ó Deus, porque em ti confio.

A minha alma disse ao Senhor: Tu és o meu Senhor, a minha bondade não chega à tua presença,

Mas aos santos que estão na terra, e aos ilustres em quem está todo o meu prazer.

As dores se multiplicarão àqueles que fazem oferendas a outro deus; eu não oferecerei as suas libações de sangue, nem tomarei os seus nomes nos meus lábios.

O Senhor é a porção da minha herança e do meu cálice; tu sustentas a minha sorte.

As linhas caem-me em lugares deliciosos: sim, coube-me uma formosa herança.

Louvarei ao Senhor que me aconselhou; até os meus rins me ensinam de noite.

Tenho posto o Senhor continuamente diante de mim; por isso que ele está à minha mão direita, nunca vacilarei.

 Portanto está alegre o meu coração e se regozija a minha glória; também a minha carne repousará segura

Pois não deixarás a minha alma no inferno, nem permitirás que o teu Santo veja corrupção.

Far-me-ás ver a vereda da vida; na tua presença há fartura de alegrias; à tua mão direita há delícias perpetuamente.




Ofereça o seu melhor...


 

Mateus 7.7

 

“Pedi, e dar-se-vos-á; buscai e encontrareis; batei, e abrir-se-vos-á” (Mt 7.7). 




sábado, 17 de julho de 2021

Só o amor sustenta um relacionamento durável

  

O amor sempre será bem sucedido quando, entre os casais, há afinidades. Quando os sonhos, gostos e desejos são iguais. É o amor quem dá paz, fidelidade, respeito, estabilidade, lealdade e durabilidade ao relacionamento. Mas o amor tem muito a ver com a maturidade. Se não for assim, a relação pode até durar algum tempo, na dita relação por conveniência, àquela cheia de muitas concessões, recuos, abstenções, renúncias e de liberdades tolhidas. Só o amor nos garante sabedoria e o exercício de virtudes nobres para um relacionamento durável e eivado de alegria. O amor sustenta um relacionamento durável até na amizade.

 

- José Valdir pereira -