terça-feira, 28 de dezembro de 2021

Eu aprendi...

 


 

Para encontrar o amor, viver o amor, use o coração.

Jamais use a mente!

Deixe-o, o coração, lhe guiar.

A mente, com o passar dos anos, fica áspera e soberbamente exigente, cheia de cobranças, de regras e de normas infundadas, criadas por essa sociedade decadente, extemporânea e obsoleta...

O coração, ao contrário, eleva-se, encerra mais doçura e espiritualidade...é

alma...transcende...Se aproxima de Deus...Ama mais. Está afeito ao amor. É a fonte do amor, do entendimento!

Também não espere que o amor fique, espontaneamente. Faça alguma coisa. Mas não o agrida. Vá com jeito. Não o assuste. O amor é delicado, sutil, frágil, cheio de dengos e mimos. É tipo assim, uma criança pura e inocente. Mas, se bem cuidado, vai se sentir seguro, confiante e, de tal maneira, se entregará, plenamente, sem reservas e para sempre. O amor? Ah, o amor é um bem conquistável. E só o tem, de forma duradoura, os sábios, os pacientes, aqueles que têm, também, amor no coração.

 

A HISTÓRIA DO AMOR...

 

Era uma vez, ou seja, há muito tempo atrás, ainda quando os homens dominavam os mares e as montanhas, um coração apareceu e, a partir daí, surgiu o amor... era o coração de uma linda jovem que tinha o rosto da cor de uma rosa rósea e os cabelos loiros como os pelos de uma tenra espiga de milho embelezando o milharal em um dos vales mais bonitos das montanhas daquele lado desconhecido da terra...

O verde da relva sobre a qual ela pisava, não era mais verde que seus olhos esverdeados, nem o céu que cobria sua cabeça não era mais azul que o azul do vestido que ela usava, caminhando por entre os ipês que não era mais coloridos que as flores que ela levava em suas mãos para ofertar ao seu amado...

 Não havia lugar para as tristezas e nem era preciso ter receio das outras criaturas da natureza, porque todos viviam em harmonia e o deus de um, era o deus de todos e a fortuna de um, era a mesma de todos, e o único sentimento que conheciam era o amor, todas as formas de amor...Então, era preciso alimentar o amor entre eles. Sabiam que o amor precisava de paz, gentileza, bondade, nobreza, respeito e admiração para subsistir entre eles e permanecer inesgotável em cada um, fazendo parte da sua alma, do seu corpo e do seu coração...

(...)

Nem o mar, nem o sol, nada no universo era do tamanho daquele sentimento que ninguém podia pegar, nem ter a posse exclusiva...apenas sentir, vivenciar, oferecer, receber, desfrutar, amar...Não deixe que o dia amanheça para ti, sem que amanheças também. Que a luz do sol ilumine a terra, sem que a luz divina ilumine teu coração...

 Não deixe de agradecer. Até o que não pedimos, recebemos. Recebemos todos os dias, bênçãos e graças, as mais imprevisíveis...

Somos livrados, a todo instante, dos males que espalham pelo mundo; nossas crianças seguem incólumes e salvas das intempéries da vida; somos curados e aliviados das dores da alma e do corpo, porque temos fé e acreditamos na intersecção do amor em prol da nossa vida...

 Que o dia que começa seja, para todos nós, cheio de paz, amor e fé.

A fé, se assentada no amor e na certeza de que é responsável pelo fortalecimento do bem e da vida, será sempre a solução para nossos problemas.

 - jose valdir pereira -

 

 EU APRENDI

Eu aprendi a sentir saudade sem chorar, a sofrer sem lamentar, a perder sem reclamar, a mar sem ser amado, a perdoar, a retribuir, a partilhar...

Muito mais eu aprendi e ainda estou aprendendo no dia a dia da vida.

 

Nenhum comentário: