terça-feira, 23 de novembro de 2021

O antagonismo existencial no amor

 Você já foi beijada por quem lhe ama e por quem não lhe ama?

Sentiu a diferença?

Você já fez amor (sexo) com quem lhe ama e com quem não lhe ama?

Sentiu a diferença?

Você já dividiu a cama com alguém que lhe ama e com quem não lhe ama?

Viu alguma diferença?

Você já sentiu orgasmo alguma vez? E orgasmo múltiplo, sabe o que é? Já sentiu?

Sabe a diferença entre fazer amor e fazer sexo?

Você já adoeceu perto de quem lhe ama e de quem não lhe ama?

Pode ver a diferença?

Você já falhou alguma vez em alguma coisa simples para quem lhe ama e para outra pessoa que não lhe ama?

Viu a diferença das reações em ambos os casos?

Você tem alguém que gosta de estar sempre com você, que divide os afazeres da casa, que se importa o tempo todo com você, é um grude, querendo saber se você está bem e se precisa de alguma coisa? Ou isso pouco importa, e você leva a vida do jeito que der, com quem quer que seja?

Você já viveu com alguém que, de modo geral, gosta de lhe dar flores, satisfazer suas vontades, dar-lhe presentes, ser, à maioria das vezes, carinhoso com você?

Pois é! Às vezes, temos tudo isso e não reparamos. E caímos nos braços de quem nos trata de forma comum e sem graça. Parece até que gostamos disso. E só vamos nos dar conta que vivíamos felizes e não sabíamos, quando tudo chega ao fim.

(...)

- jose valdir pereira - 





Nenhum comentário: