domingo, 2 de janeiro de 2022

Você é capaz de fazer alguém feliz no amor? Na amizade, também?

 


 

O amor não é só amor e tão somente e simplesmente isso. O amor é compromisso, responsabilidade e dedicação; renúncia e doação. Ninguém pode ignorar a parte compromissada do amor, aquela da qual todos gostam de se furtar...

 

Sim, além do prazer e dos sorrisos escancarados, de lés a lés, da alma e do coração, eis que, de repente, vem a demanda de um para com o outro, a vez de deixar-se fazer no outro, responder pelo bem estar do outro, na sua plenitude e profundidade...

 

Porque amar a alguém ou a algo que se nos apresenta de forma intrínseca como um bem, ser precioso, de quem esperamos atenção em todos os momentos, é como que se devêssemos amar a nós próprios, doarmo-nos sem reservas e limites, de tal sorte que, ao nos sentirmos amantes, nos vemos livres e libertários, saudáveis e felizes e, nesse diapasão, fortemente capazes de fazermos do amor nossa realização, na realização de outrem;

Amar é tão assim; senão mais, e muito mais... para que quem nos ama, sinta, ao seu derredor, acordado ou nos sonhos, nos pensamentos ou nas palavras, na prática ou na teoria, os cuidados que nosso ser amoroso está a dispensar ao outro, à outra vida...

 

Igualmente, a amizade, requer postura responsável e voltada para quem chamamos de amigo; não se dê à insolência de dizer-se amigo, sem que saiba desvencilhar-se, cavaleirosamente, daquilo que é intrínseco à uma salutar amizade. Ser amigo é custoso...Quer dizer, requer habilidade, conhecimento do outro, a ponto de enxergarmos suas potencialidades e limitações, fraquezas e vitalidade...para que sejamos capazes de estar ali, nas horas certas e incertas...

(...)

Se conseguimos ter um pouco desses entendimentos, sobre o amor e sobre a amizade, e soubermos ser práticos no nosso dia a dia, com certeza podemos ser e ter um grande amor e ser e ter um grande amigo!

(jose valdir pereira)



Nenhum comentário: