sábado, 1 de janeiro de 2022

Aproveite bem o tempo, o seu tempo!

 
Perdemos muito do nosso precioso tempo porque não fazemos ideia do tempo que nos
resta...Ou por outra, pensamos que temos todo o tempo do mundo...É comum
adiarmos, deixarmos para depois, ficarmos sossegados, como dizem alguns, de papo
pro ar; a ver navios;

É comum dizermos: ah, ainda tenho muito tempo. Depois resolvo ... Ledo, ingênuo e irrefutável engano. Tudo pode mudar em poucos segundos.

Já tentaram nos alertar pra isso, na frase:;não deixe para amanhã o que pode fazer
(ou mudar) hoje; Acontece que, ou somos ainda muito jovens (uns, pensam), ou ainda
estamos na fase adulta (outros, declaram) ou, mesmo na decrepitude, ousamos (e nos
atrevemos) chegar aos 90 (mesmo sem os cuidados necessários para conseguir tal
proeza). 

Meu pai, na altura dos 92 anos, quando brincava com ele, dizendo-lhe que, da forma como
vai, facilmente chegará aos 100, ele me respondia, com um sorriso esperançoso
estampado no rosto: só isso? Vou viver é mais de 100 anos. 

Às vezes, perdemos certas oportunidades na vida porque o tempo nos leva a crer que, mais na frente, outras tais aparecerão. Não está nada fácil vencer os percalços da vida moderna, quando tudo que nos cerca tira-nos um pouco do nosso tempo. 

E esse tempo é desperdiçado quando, do seu emprego, aproveitamos quase nada. A leitura de um livro, assistir esse ou aquele programa de televisão, um bate papo na esquina, passeio no shopping...tudo é uma questão de escolha, e, também de entendimento quanto a estar ou não perdendo o precioso tempo. Há uma frase que o americano gosta muito de usar “Time is
money”. 

Alguns aqui no Brasil, certos empreendedores, afirmam que aproveita tão bem o tempo que “enquanto descansa, carrega tijolo”. Sim, tempo é dinheiro. Mas tempo é, também, paz, amor, saúde, alegria, realização...(se bem aproveitado) e dor, sofrimento, tristeza, arrependimento e vida instável, desconforto, porvir desassossegado...

Não desperdicemos nosso tempo! Fiquei feliz por ter aproveitado bem esse pequeno pedaço do  meu tempo para escrever esta crônica. 

(jose valdirpereira)



Nenhum comentário: