o poeta

o poeta
o poeta e sua mamãe

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Desagarra-te




                                                   Desagarra-te de tuas ambições materiais;
dos teus sonhos velhos... 
experimenta, agora, pensar à luz da leveza do voo da gaivota em alto mar;
não ignora e enxerga o esplendor do amanhecer na beleza dos teus pensamentos e, absorto, percorre jardins, envolva-te com as flores; 
passeia na floresta e envolva-te com a vegetação, igarapés de águas cristalinas, arbustos que tocam o céu, peixes coloridos e passarinhos gorjeando sons de amor à natureza;
corre toda a encosta que te passa pela mente e contempla os sons que se misturam com a beleza da espuma que criam as ondas do mar; 
solta-te, deixa essas amarras sumirem com o teu renascer...
desprende-te dos teus sonhos caducos...
A chance aparece e some para outra vez, só quando nova estrela nascer...
e o amor tentar outra vez!


(jose valdir pereira)





Nenhum comentário:

Postar um comentário