Livro infantojuvenil do poeta

Livro infantojuvenil do poeta
O MAIS RECENTE LIVRO DO POETA

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Reflexões








"Do poeta escorre o sangue, a poesia, 
pura e tenra, 
porque sua seiva escarlate sai do seu corpo a partir de um coração meigo e amoroso,  
amigo e pueril... 
é presente nos braços da natureza, a mãe maior, 
que o alimenta e o entrega à fome dos homens, 
à ignorância da escassa luz, 
que se apossa feito fera faminta, 
sem alma, sem lua, sem céu e sem coração!" 
(jose valdir pereira)


"...E mesmo assim, às vezes, não nos damos conta do esplendor dessa luz, 
e seguimos no escuro, às trevas, 
sem reparar a luz que nos ama, 
que ilumina o caminho... 
aquele que nos leva ao amor...à vida!"  
(jose valdir pereira)


"Não é a ida com esse fardo pesado que me atormenta; é a volta, só e esquecido.
Não, não me importa cultivar flores e cuidar para que haja frutas no pomar; 
Não receio não ter direito as flores e nem aos frutos...
Afinal,conhecemos a história da multiplicação dos Judas e a história do
crescimento da prole de Pilatos!" 
(jose valdir pereira)






Por que és tão assim, assim, tão mulher?





És tão dependente de atenção, de carinho, de afagos e beijos de amor, da mão amada a segurar tua mão, do perfume que gostas de sentir exalado do corpo do teu amado, da tua convicção de que és bela, formosa, a própria diva do amor, a companheira indispensável, amiga e valiosa; 


És tão suscetível ao desejo de servir, cativar, cultuar, cultivar, amar, cuidar, recomeçar, refazer, encarar, prosseguir, recuar se preciso for, sem, no entanto, desistir...


És tão presente, a escolhida para perpetuar os desígnios de Deus, velar pela natureza, a única criatura de incontáveis fôlegos, vidas; a única comparada às flores, pela perfumação da tua fragrância e pela deslumbrante beleza que tens...


És tão desejada, mas tão inacessível, que sem os recursos das artes e das seduções, homem algum chega ao teu coração... Se chega, porém, és fiel, leal, sem igual, amante e um oceano de amor, carinho; um tesouro cobiçado e que todo homem quer; Por que és tão assim, assim, tão mulher?


(josé valdir pereira)

domingo, 27 de novembro de 2011

Pensamento do poeta



"Não tardará, quando você se der conta que tem um coração,
descobrirá porque tantas vezes bateu, freneticamente.
Sentia pontadas de amor!"
(jose valdir pereira)






Pensamento do poeta






"Certas pessoas são exemplos daquelas pedras que dificilmente poderíamos removê-las do nosso caminho, 
sem que nos arranhássemos um pouco com elas. 
As belas rosas, alcançamo-las em meio aos espinhos...
Algumas pessoas são meros espinhos...
É preciso saber lidar com elas, 
cuidar-se para não ser
 surpreendidos com seus arranhões.
(jose valdir pereira)

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Sobre a amizade, sobre o amigo!

O violão do poeta, amigo inseparável


Se não houvesse a amizade e amigos como você, 
eu viveria tentando convencer Deus para fazer mais um favorzinho! 
Ainda bem que ELE pensou em tudo!
(jose valdir pereira)

Qualquer hora dessas...




Qualquer hora dessas, 
dessas que me fizerem ver que não posso mais resistir de tanta ausência tua, 
chego ao teu quarto e, sem bater à porta, entro, 
vou à tua cama e, cheio de amor, 
te amo até o amanhecer! 
(jose valdir pereira)

Aconteceu!





C O N V I T E

29 de agosto, sábado, às 17h, no teatro Cacilda Becker, em Cacoal

O escritor e poeta José Valdir Pereira, a Academia de Letras de Rondônia,  A Academia de Letras de Cacoal e a Fundação Cultural de Cacoal, convidam para o lançamento do livro “Semeador de Emoções”, de José Valdir Pereira, dia 29 de agosto, sábado, às 17h, no teatro Cacilda Becker, no município de Cacoal, Rondônia.

Ficha Técnica do livro:

Gênero: poesia
Autor: José Valdir Pereira
Editora: Scortecci
Capa e ilustrações: Viriato Moura
Ano: 2009

Sinopse do livro:

“Semeador de Emoções traz lições das quais emanam advertências, sugestões e exemplos de dignidade humana, convincentes e oportunas que encerram e nos transmitem verdadeiras lições de sabedoria e proficiência de vida.






quarta-feira, 23 de novembro de 2011

O que pensa o poeta...



"O feedback entre duas pessoas de almas iluminadas, produzem alegria,
 contentamento e felicidade ao longo da existência." 
(jose valdir pereira)


A vida é bela, por estas e outras...








A vida é bela e é bom viver, por estas e outras: um amigo aparece quando você menos espera e estende sua mão, ajudando-o a sair do fundo do poço! Ou então, quando você se sente o último dos últimos e uma amiga chega e não nega esforço para lhe ajudar! Ou então, quando uma criança, ao passar por você, de repente, abre aquele largo sorriso, muito amor no olhar, e tudo sem uma palavra... Ou a canção distante, na alegria da liberdade de um passarinho...Ou então, todo esse amor que vem de você! Ou, não menos,  por esse amor que transborda no meu coração, de tanto amar viver!(jose valdir pereira)

terça-feira, 22 de novembro de 2011

Sobre o amor...






"O amor só tem sentido se resultar de conquistas...
...do bom flerte. Flertar é insinuar com os olhos, com as mãos, com os lábios...
...É sentir fome na versão da língua nos lábios...molhados...
...Não advém de provas...ou, no mínimo, de uma. Qual? 
Do inebriante desejo - entumecer... molhar...
...A essência é acontecer quando persuade o amor que pulsa noutro coração... 
...ainda de forma desajeitada e tenra...MAS...
... que precisa viver e não saberia  sem esse amor..."
               (jose valdir pereira)

Mulher

                                                               




Mulher entre tantas,
mas rosa com rosto de criança,
rosa que amanhece suada de tanto amar.

Horizonte inatingível, esperança imprescindível,
mulher inesquecível, entardecer que traz saudade,
que seduz o angelical, que alimenta essa paixão, que corrói,
que deflagra o espírito cauteloso, que sussurra sem estar perto, 
domina a mais louca fera, bela. 

Mulher na multidão, passos longos, nada na mão, pés descalços, lábios sensuais, seios descobertos, que atraem os raios do sol, sol que, curioso, só repousa, não queima, pois respeita a singeleza de uma deusa que, sobretudo, é rosa. 

Mulher que enlouquece a quem ama e quer, por uma rosa, viver se preciso for, pois aceita até morrer, se a morte for por amor.
(jose valdir pereira)

Quanta esperança significa...






Quanta esperança significa esta vontade de viver, que não é ilusão, é força...é desejo, é minha vida?

E que força tem esse amor, que me lança nessa caminhada,
que me torna vivo e destemido, que me conduz ao seu encalço,
sem temer o tempo que passa, que gasta, a procura de seus beijos, que me chamam, seu corpo que me atrai, e que, mesmo longe, me alimenta, me sustenta nessa vontade de viver...

E que futuro garante este presente percurso que sigo em busca da felicidade – você, meu amor -  que, mesmo longe, me tenta e me traz vontade de viver, por este amor, que somos, que temos, que damos, assim, todo nosso, por inteiro, sem reservas?

Quanta esperança significa, meu amor, esta vontade de viver por este amor?
(jose valdir pereira)



Doce mania




Imaginar você aparecendo, vindo de lá, d’algum lugar,
de pés descalços, cabelos molhados, roçando seu corpo,
despida, toda atrevida, querendo chegar, de perto, de peitos tenros, chegando, de lábios ávidos, em busca dos meus...
Imaginar você aparecendo assim, sempre assim,
tem sido a minha doce mania.

Querer você em meus braços, deixá-la percorrer meu corpo
em busca das vezes que não fomos, toda assim, livre e sem reservas, é o que mais desejo, aqui e agora, se não morro, porque não fui, não pude e não tive...

Você, a perfeição do amor, do prazer que se fez existência,
que eu tanto quero em minha vida.

Ah! minha doce mania...
imaginar você, querer você, percorrer seu corpo e nele encontrar a paz de que tanto preciso e às vezes que nunca fomos...
(jose valdir pereira)


Em um momento de sonho



E estive em um momento de sonho te amando,
roçando meu corpo no teu
e beijando tua boca,
que, loucamente, me envolvia,
deixando-me embriagado,
enlouquecido em meio a essência que eras.


Meus lábios percorreram teu corpo
e sem pausa o amor se fez eterno e te amei.
...E quanto te amei.


E tudo assim ocorreu: suave e deliciosamente,
na relva encoberta de tantos desejos de nós dois,
surgiram beijos, abraços, cansaços, gemidos, sussurros...
(jose valdir pereira)








Quando o tempo chegar





E outra vez diante de ti,
emudeci em meio à tua beleza
e do amor que tanto sinto não soube falar.
Quanta vontade sou eu de ti...

Ah! Se não fosse esse jeito comedido de ser,
esse ser escrupuloso que sou,
quem sabe, quão feliz eu seria?
E as flores, que tantas vezes...
e os beijos, que tantas vezes...

Meu grande amor,
como e quando falar do amor que tenho por ti?
No parque, no jardim, na praça,
hoje, amanhã ou em algum lugar, quando o tempo chegar?
Em que tempo, em que lugar?
(jose valdir pereira)


Escolheste a mim





Escolheste a mim,
desajeitado e acostumado
com as coisas simples da vida,
pouco atrevido,
mas sem escrúpulo no 
exercício do amor.

Queres a mim,
sem rodeios e por completo,
possuir-me de qualquer forma,
em qualquer lugar.

Assim, mesmo com tanta roupa,
ou com pouca liberdade,
no meio dessa multidão,
que está a espreitar
o nosso iminente mergulho
nas profundezas do amor, me queres...
E é tanto amor...
(jose valdir pereira)

Você é a sua esperança



"...Mas não se desprenda da certeza de que é tudo que um homem deseja e quer. Apenas ainda estão caminhando, um ao encontro do outro. É que nos caminhos, há sempre obstáculos e barreiras que precisam ser vencidos, até que o amor aconteça!"(jose valdir pereira)

sábado, 19 de novembro de 2011

Desejo amar você...


Só sei se você veio quando há flores no alpendre;
a relva molhada;
os pássaros mais alegres;
há festa nos aquários;
o seu perfume toma os ares da casa;
aumenta minha saudade;
desejo...aumenta meu desejo de amar você...
(jose valdir pereira)

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Hoje, não!


Hoje, não!


Hoje, não quero ouvir, nem ver, nem sentir, nem saber, nada que me tire a alegria de viver.
Quero apenas notícias que possam encher meu coração de alegria, de prazer e de amor.
E que meus olhos vejam imagens e paisagens que transmitam contentamento; 
e que nenhuma tristeza chegue ao meu olhar;
Portanto, nada de imagens e notícias tristes; hoje, não! 
Que me deem flores, pirulito, balões coloridos, um passeio pelo parque da cidade, um violão, uma canção, uma poesia de amor, uma comédia na sessão matinê, mas nada de cenas e palavras tristes; hoje, não! Se posso ser feliz, beijar e amar  minha amada, na relva, na rede, n´água, no mar, no chão...
Tristeza, melancolia, solidão...Ah, isso hoje, não!
(jose valdir pereira)

terça-feira, 15 de novembro de 2011

Reflexão!




Não se atormente pelas coisas mundanas; se Deus não lhe negou amor e você O quer no Seu coração, não desespere...
Toda vez que vir uma flor, um pássaro voando, uma criança sorrindo, um amanhecer... sentir-se saudável, sentindo suas pernas, seu corpo, o pulso pulsar...seu coração está vivo e suscetível ao amor, à vida...
Não se aflija com as intempéries das circunstancias...
Lembre-se: um Deus existe e o amor, também!
Sempre que houver dúvidas, ausência da fé, se debruce na certeza de que há um Deus que nos acolhe e nos oferece à vida eterna, Sua bênção e Seu amor!
Há apenas uma ser todo poderoso capaz de nos dar paz, alegria e uma vida feliz: Deus! Apenas lembre que Ele existe; isto já é uma oração!Sempre que  for possível, pregue o amor, a paz, o entendimento. Isso é evangelizar! (jose valdir pereira)

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Crônica do poeta


       



Por que dormir se dormirei eternamente após a morte?

 

Não gosto de dormir; tenha a impressão que a vida passa mais rapidamente e a morte, essa senhora inoportuna, impiedosa e desagradável, que chega sem convite, sem aviso e de maneira inconveniente e, às vezes, desastrosa, se nos apossa com mais facilidade. Se pudesse, bebia todas, comia todas, via a lua nascer e sumir... o sol ir e vir...até a primavera voltar e o outono, também. Adoro outono. É pra ver as folhas caírem... Passa-me a idéia de renascimento... Já viu uma gaivota voando no infinito do céu azul? Já viu uma centopéia seguindo seu caminho... que paciência...parece que nunca vão chegar...mas elas sabem que vão... Chegar! Quando custa ao beija-flor polinizar a flor? E porque todas as águas doces correm para o mar? E por que o mar continua salgado? Parece coisa de gente... Tanto carinho recebe e continua salgada... Por que o mundo é doido? Ora, também pudera... Cheio de gente doida. Sabia que você é também desajustado, desmiolado, desequilibrado... Não adianta se esconder atrás desse sorriso... um pouco mais ou um pouco menos, mas é...É por isso que a vida é desassossegada, atribulada e corrida...Cheia de gente pressurosa...Você está parado, mas doido pra correr, desimbestadamente...É ou não é? E como mudar? Se forem para a roça, vão queimar o roçado, dizimar o pouco do verde que sobra e a fauna some... É melhor mesmo ficar na cidade, pensando que é são, vendo a vida passar, e descuidado, como disse o Raul Seixas, com a boca escancarada esperando a morte chegar.  (José Valdir Pereira

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Meu jeito de amar...



Enquanto você se esconde, apareço;
se segues no meu encalço, nem percebo;
e quando me queres, nem me atrevo;
porque, quando sou de graça, impões preço!


E essa teu pouco-caso, quem disse que mereço;
uma coisa é a pegada, outra é o apego;
se tu não me tocas com jeito, não vamos encaixar; 
segura firme e com jeito e quem sabe tudo vai  dar...


Sem  muita pressa, e no pouco a pouco não exagerar;
ora por cima, ora por baixo, sem esquecer o lado a lado;
cobre-me com murmúrios e sussurros, 
mas nem tanto ao céu, nem tanto ao mar;


mas também não vou dizer: 
não para! não para! 
Quando não for para parar;


fique bastante à vontade e vá até o fim;
nessa hora quem manda em ti sou eu,
e és tu quem manda em mim,
e dá-me tudo que mereço, do começo ao fim,
porque, a ti, darei tudo, o que for e não for possível...


Meu jeito de amar... é assim!
(jose valdir pereira)

domingo, 6 de novembro de 2011

Para não me esqueceres...



Para não me esqueceres, não basta estar presente; 
...é preciso que sintas que não estou longe de ti...
Para não me esqueceres, faço por onde ser lembrado;
não só como penso que devo, mas do jeito que queres.
Para não me esqueceres, faço de tudo para ser lembrado!
(jose valdir pereira)

Crônica



Entender uma poesia a partir de uma simples leitura não é fácil...


Depende profundamente da sensibilidade da alma e do coração...
...do estado de espírito...


Às vezes, pensamos que escrevemos uma obra rara, uma criação divina e, 
ao final, aos olhos dos outros... Nada;


É como uma bela pintura, daquelas que enlouquecem corações, 
mas, para alguns, não passa de rabiscos e expressões que borraram a tela, 
desperdiçando-a...


Mas é isso; é mister que, assim, 
como carecemos aprender a amar a nós mesmos primeiro para sabermos amar ao próximo, 
precisamos compreender que a linguagem das artes é sempre espetacular; 
cada um de nós é que processa essa imagem em nossos corações e, 
depois disso, a vemos, feia ou bela, uma expressão artística fenomenal ou, 
então, uma insignificante proposta de arte.


Cabe ao artista (poeta, escritor, pintor, compositor...) ser capaz de compreender que a sua criação tem dois públicos: ele e os amáveis leitores, espectadores, ouvintes, E ambos julgam o ente criado conforme um conjunto de fatores... Por exemplo: se a criatura é belíssima, mas o espectador está de mau humor, que será da arte? 
(jose aldir pereira)

sábado, 5 de novembro de 2011

Sobe minha esperança...

SOBRE MINHA ESPERANÇA DE VIVERMOS NOSSO AMOR...


Não desespero dessa ausência tua,
do teu beijo e do teu amor,

porque,

o amanhã pode ser nosso e nós,
um do outro;

porque,

já está tudo preparado para teres o meu amor...
do jeito que imagino quereres;

tudo em mim te deseja:

meu corpo, meu coração,
minha alma e meus desejos me oferecem...

teu corpo e teus beijos de amor;
Não desespero dessa ausência tua...

porque...

sei que, mesmo assim, longe, eu de ti e tu de mim,
somos um do outro, hoje e sempre, meu grande amor!
(jose valdir pereira)


Não acredite em tudo que dizem sobre o amor...







Não acredite em tudo que dizem sobre o amor; ninguém ama igualmente e nem o amor tem o mesmo valor entre as pessoas - tem gente que ama mais de noite; alguns, de manhã; a maioria, nunca! Tem gente que ama fazendo sofrer; outros, só amam, sofrendo. Às vezes, nem há amor e, porque pensamos haver, fazemos...amor! Amar não é parada pra qualquer um. Se alguém disser que ama, acredite logo não, porque mente!Amar é atitude, ação. Mas isso, não significa que ama quem faz sexo, quem beija e quem faz carícias...Ama de verdade quem é capaz de fazer as pessoas felizes, o amado feliz, a amada sobejamente feliz. Se você pensa primeira em fazer o outro feliz, então você aprendeu a amar! Certamente, assim, será também amado. Se não acredita, experimente amar de verdade!(jose valdir pereira)

sexta-feira, 4 de novembro de 2011

A poesia do poeta

"Estão aqui os versos do poeta,


                                                     que se embriaga com seus madrigais... 

                                                                                      decerto, um gondoleiro do amor casto...


                                                                                                   ...e mais ainda, quando sinceros são todos os corações?"
(josé valdir pereira)


quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Frase do poeta

                             "A bondade, a caridade e a solidariedade devem ser espalhadas 
                          na terra para que o amor floresça,
                            cada vez mais,
                             no coração dos homens!"
 
                                     (José Valdir Pereira)



A poesia do poeta



Foi o amor!


 Quando cheguei, estava aberto; tudo!
 Havia uma flor sobre o lençol da cama e o cheiro era o teu;
 Uma delícia... e o vinho, já à espera, como de costume!
 Tua roupa, cheirando a ti, já se espalhava pelo chão...
 Sem muita luz e, ansioso e aos pouco, deitei-me ali,
 onde teu corpo haveria de logo estar, e olhando para tua imagem,

 que se acendia nos meus pensamentos, fechei os olhos e pus-me a imaginar tua vinda,
 silenciosa e prazerosa vinda, e não tardaste...a chegar!



 Chegaste e, logo, logo, aos pouco, senti que já estavas sobre mim,
 ardendo sobre mim, tocando meu corpo, 

 e tua boca no encalço da minha,
 e teus lábios perseguindo os meus,
 já trêmulos, loucamente mordiam os teus.



 Não hesitei em roçar meu corpo ao teu e deixar minhas mãos acariciarem
 todos os teus pueris e castos motivos dos meus desejos...



 ...e meus lábios se envolvia na tua ânsia de ser possuída, toda e sem reservas...
 E não soubemos dizer depois o que fizemos...

 Apenas o que sentimos: amor!"

 (josé valdir pereira)