o poeta

o poeta
o poeta e sua mamãe

terça-feira, 25 de outubro de 2011

Na minha aflição de estar só



Quando a solidão aportar na minha derradeira aflição de estar só,

é o que sempre acontece quando tu te vás, convicta de ter-me enfim vencido e, por isso, fizer-me vê-la festejar sua glória ante meu último suspiro, porque, além de ti, me foram todas as flores,  

terei nas sementes a certeza de um novo recomeço... 

e, teimosamente, por amar-te, dar-me-ei a ti outra vez!

(José Valdir Pereira)

Nenhum comentário:

Postar um comentário