o poeta

o poeta
o poeta e sua mamãe

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Para que caminhes comigo...





Não te quero para que sejas minha;
quero-te para que fiques comigo;
para que caminhemos até ali, ou enquanto der, ou quem sabe, não sei até onde...e... e até quando...
Só sei que não te quero para que sejas minha...
mas para que caminhes comigo a minha caminhada...
Até onde der...
...e eu, doce amor, a tua...
Enquanto houver caminho!
(jose valdir pereira)



Nenhum comentário:

Postar um comentário