sábado, 30 de julho de 2022

Viva a poesia

 
 É preciso que sejamos gratos à poesia, aos poetas. Esses uns que, ao fazerem essas umas, deixam-nos compreendendo melhor o significado do que não tem significância, enxergar melhor o que não vemos a olho nu e balbuciar palavras que nos tocam o coração...

 A poesia nos dá o rumo, mas, também, nos tira o norte...Brinda-nos com o amor da (o) amada (o), mas, também, nos atira às cegas, numa ida sem volta, tendo que voltar...

A poesia, quando é poesia, deixa sempre muitos porquês soltos e entendimentos adiados. Nem a pintura, nem a poesia, nem uma, nem a outra, reflete seu criador; ou seja, não tem muito a ver com a mão e o coração do seu criador. Quando o tem, não é poesia. O poeta não faz poesia porque e quando quer. Sai naturalmente, como que, como diz Ferreira Gullar, de um susto... E, na maioria das vezes, senão em todas, aparece para movimentar o maior dos sentimentos: o amor - para através dele, gerar paz, alegria e bem estar.
 Viva a poesia!

jose valdir pereira 

 
 

Nenhum comentário: