amor

amor
Do amor divino. Do amor poético. Quando estamos guiados pelo amor de Deus, tudo encerra muita alegria e muita paz!

sexta-feira, 16 de outubro de 2020

Do meu encantamento...

 O que realmente me encanta são as sutilezas...

Da folha ao vento deixando que a leve sem se importar pra onde,

Da flor que sozinha sai de uma mão à outra, levando um universo de amor e de ternura,

Dos raios do sol que se mostram no outro lado pela fresta da janela, como se não fosse possível impedi-lo de penetrar no âmago do lado esquecido,

Do beijo macio e discreto, apenas no toque dos lábios, brandos e entumescidos pelos desejos aparentes,

Dos pingos do orvalho que se grudam nas pétalas das flores ou na epiderme das folhas, como quem usufruiu uma noite de amor e, ainda sem os raios do sol do dia, está esmaecido no corpo da sua amada, cheio de uma doce preguiça, mas, querendo mais, esperando que a energia do amor o levante,

Do gozo silencioso que arrebata a amada amante no instante em que ela estremece suas entranhas pelo toque avassalador do prazer que lhe penetra nas profundezas de sua alma,

Da oração do fiel que pela fé alcança seu Deus e sua prece é atendida, inesperadamente, ao cair da noite ou ao amanhecer do dia, quando a esperança não é desfeita e a ajuda, tarda mas chega,

Do sorriso, manifestação da alma e do coração, que movimenta o corpo, a mente, e a vida se mostra refeita pela força da alegria que emerge da natureza viva que existe no sangue e na carne do ser empoderado,

Da imagem de Deus a sorrir, o que é raro, pela felicidade que vê na sua criatura por estar sabendo conviver com os bens da natureza e com a fé que carrega no coração, sem que precise de provas para louvar sua fé no seu Deus,

Do momento do abraço, do perdão, da conquista, do amor, da entrega, do beijo de amor, do abraço entre os amigos, do desejo de boa sorte para quem parte e do desejo de boas-vindas para quem chega,

O que realmente me encanta são as sutilezas...

Do pôr do sol ao entardecer do dia, da revoada de um bando de andorinhas, cortando o céu e, aqui e acolá, desviando-se das árvores para depois povoá-las quando sucumbem  ao sono da noite,

Do perfume das flores que foram nomeadas por Deus para perfumar a terra e poupá-la do aroma que teria com as queimadas, com a putrefação deixada pela renovação da vida, pela mão do homem e pela renovação natural dos seres animados e inanimados,

Do olhar sutil e discreto, que leva uma mensagem de amor e de admiração aos olhos de quem vê os detalhes, pelo endeusamento do momentos,

(...)

Das mãos que se tocam, uma levando a outra para o amor, para a alegria da vida,

Da paciência de Deus com suas criaturas, que os perdoa todos os dias, que os mostra a luz a seguir, mas que pela contumácia que lhes são bem aceitas à revelia do Seu Deus, repetem sempre as mesmas desobediências e desconsideração...

O que realmente me encanta são as sutilezas...

- jose valdir pereira - 







Nenhum comentário:

Postar um comentário