amor

amor
Do amor divino. Do amor poético. Quando estamos guiados pelo amor de Deus, tudo encerra muita alegria e muita paz!

terça-feira, 13 de outubro de 2020

A longa e a curta estrada da vida...


É longa a estrada da vida para alguns. Pena que esses são os que menos aproveitam os ensinamentos que os longos anos da vida lhe dão. Parece que aqueles que têm uma vida cuja estrada é curta, sabem melhor aproveitar o tempo, a caminhada, as paisagens e os ensinamentos que se lhes aparecem.

Até um certo tempo, a caminhada é patrocinada pelos pais. Mas temos colegas de escola, vizinhos, gente que vem e vai, com quem mantemos contato, pessoas que observamos por onde andamos, jeitos, comportamentos, ideias, modo de se vestir, falar, olhar e entrar em uma conversa e o modo de dela sair. Com jeito ou abruptamente, sem um até logo, ou sem um foi um prazer estar ou ter conversado com você. É tudo muito rústico ou, para o deleito do nosso coração e da nossa alma, é tudo muito generoso, amável e delicado.

Essa observação de como o mundo gira através das pessoas, seus gestos, atos, jeitos e modos, chamamos de escola da vida. mas também podemos incluir os fenômenos da natureza, o comportamento dos bichos, dos outros seres vivos, tipo árvores, rios, oceanos, ventos, vulcões, estações...

Se todos se dessem conta de que a escola da vida é um extraordinário lugar para se aprender excepcionais lições de vida, coisas que iluminam, verdades que dão alegrias, luzes que mostram os caminhos certos, sorrisos que encantam, palavras que dignificam e encorajam, abraços que acolhem, mãos que afagam, à essas coisas dedicar-se-ia, preferencialmente a elas, sem ocupar seu precioso tempo com tudo aquilo que tem antagonismos com essa forma divina de viver, levemente descrita anteriormente, onde existe a alegria e a paz para o coração.

De onde vimos e para onde estamos indo, eis a questão. E os rumos eles são dados pela gênese da origem de cada um. A genética, o genótipo, é responsável por quase 60% de tudo aquilo que somos, senão 50%, como querem alguns. O meio, o fenótipo, interfere apenas uma parte, a menor, ou então, como querem alguns, em 50%. Assim, quando você nasce, sua carga social, política, humana já foi definida pela herança hereditária que você carrega nos seus gens, perpassada pelos seus ascendentes. Se tem que mudar, seu gênio, a tendência de se locupletar facilmente, deixar de ser um cleptomaníaco, ser prepotente e opressor, mal caráter e egoísta, vai ter que trabalhar muito a sua pessoa, através do conhecimentos das virtudes e dos valores que aperfeiçoam o ser obtuso e tosco com o qual nascemos e o carregamos desde o berço.

Não me ocorre agora qual foi o Papa nem sua Encíclica, onde ele afirmou que os seres de Deus nascem como indivíduos, vindo a se transformar em pessoas, com o passar do tempo, quando busca sua elevação espiritual, através dos ensinamentos sagrados.

O filósofo do personalismo, Emmanuel Mounier, diz que para entender o ser humano como pessoa é entender o valor absoluto do humano, ou seja, como finalidade de organização politica. Por estar inserida no mundo, a pessoa sofre as ações dos outros e age transformando aquilo que está à sua volta e, por consequência, transformando a si mesmo.


(...)

Continua

- jose valdir pereira - 











 

Nenhum comentário:

Postar um comentário