quarta-feira, 15 de julho de 2020

A vida a dois, uma experiência existencial muito difícil



O ideal é você encontrar sua alma gêmea.
Não sendo possível, procurar na caminhada, os dois, 
como são e como poderão as coisas se ajustarem.

Se há amor, deve haver um pouco de sacrifício, em nome desse amor.
Só desistir, depois de algumas tentativas.

Com o passar do tempo, somos cada vez mais exigidos quanto à tolerância, á paciência e à compreensão. É porque cada qual vai se soltando, não dá mais pra dissimular, e o outro vai vendo o quanto não deu pra enxergar antes.

Antes, no limiar do relacionamento, no tempo dos cortejos e das conquistas, gosta-se de tudo que o outro gosta, da música, passando pelos filmes, pela literatura, pela culinária, pelas bebidas, pelos costumes, hábitos etc. 

Enfim, no começo, são feitos alguns acertos, concessões. Um vê o quê o outro não gosta, evita o desconforto de ter que sofrer contrariedades e constrangimentos. Depois da conquista, quando a convivência se torna uma rotina, quando ninguém tem mais que se segurar nisso ou naquilo, quando a cortesia, a amabilidade, as delicadezas e os sorrisos e as gentilezas perdem importância,  é preciso que entre em cena a sabedoria e o doce amor que ainda podem existir no coração.

A pior coisa, não é terminar um relacionamento, mas começar outro.

- jose valdir pereira - 




Nenhum comentário:

Palavra do Senhor

  "Então disse; eis aqui venho, para fazer, ó Deus, a tua vontade. Tira o primeiro, para estabelecer o segundo"  Hb 10:9.   "...