quarta-feira, 17 de março de 2021

Seja do bem sem olhar a quem

 
(se não for para elogiar o que você tem a ganhar criticando? Talvez perca aquilo que, talvez, nunca teve!)


Se não for para elogiar, não faz meu tipo criticar, mesmo que não seja um amigo. E só fazê-lo se for pedido.Isso porque, a vida de cada um pertence à cada um. Seus gostos, suas preferências, sua opção sexual, suas opções políticas, sua religião, isso tudo é uma questão de livre-arbítrio.


Por que avaliar e julgar alguém, em face de suas escolhas e idiossincrasia, se a vida é dele, as consequências de suas opções são suas, se o amanhã lhe pertence e tão somente a ele?


Apenas em um momento, mesmo assim temos que avaliar se somos ou estamos capazes disso, podemos dar nossa opinião sobre o que faz e sobre o que pensa alguém, ainda mais um amigo. É quando somos pedidos a fazê-lo.


É tão delicado querer dar luz, indicar o caminho a seguir, dar conselhos, dizer o melhor a fazer...Isso é algo de muita responsabilidade. Não é preciso ser professor, nem psicólogo para saber disso. Que esse fazer é muito complicado. Dono da verdade? Só há um. Deus!




Então, que aprendamos uma coisa: não devemos invadir o Facebook de alguém, ou outro espaço social, mesmo que seja de um "amigo", para deixar uma mensagem negativa, de valor, de repulsa, de crítica, de menosprezo. Se não gostar, se pensar diferente, pule, apenas leia. Mas não interfira e nem ache que pode deixar seu parecer contrário, negando o que o outro pensa. Isso se chama direito de expressar o pensamento. Qualquer que seja esse pensamento, desde que não fira os ditames da lei. Mas, mesmo assim, quem somos nós para julgar alguém à luz da lei. Isso é para a justiça constituída e Deus.


Já bastam as instituições mal conduzidas, geridas, tendenciosas, as redes de relacionamentos que nos permite ser um dos membros, mas nos tolhe em quase tudo, tirando nossos direitos de postar mensagens condizentes e afinadas com o nosso ser e fazer ideológico.


Então, quando visitar suas redes sociais e porventura vir alguma postagem que não lhe agrade, caso não esteja pedindo sua opinião, querendo saber o que você pensa sobre, passe batido. Leia, veja e deixa pra lá. Permita ao outro usuário ser livre e expressar seus pensamentos como lhe aprouver. Se porventura estiver ferindo as leis do bom-senso, as leis de Deus ou as leis dos homens, não seja você a querer julgar.


Em nome do cavalheirismo, da saudável amizade e dos ensinamentos cristãos, dê sempre a mão, nunca a retire. Ame sempre, nunca odeie. Seja sempre gentil, jamais tosco. Dê flores, se possível sem os espinhos. Sorria e não seja carrancudo. Diga palavras bonitas e não pregue o terror, espalhando o mal e suscitando tristezas e angústias. Quando não se sentir confortável em uma amizade, em uma relação amorosa, em um diálogo, retire-se, educadamente. 


E jamais devemos esquecer: embora não sejamos de ferro e nenhum Jesus Cristo, para dar a outra face para ser surrada, o melhor mesmo é contar até 10, rezar um Pai Nosso, pedir desculpas e, elegantemente, se retirar. Se ausentar da vida daquela pessoa, naquele momento ou para sempre.


Para finalizar, creio: apenas o nosso amor, aquele ou aquela com quem vivemos, nossos filhos, podem receber ou ter nossas opiniões sobre quaisquer assuntos, já que suas decisões e comportamentos e atitudes podem interferir nos nossos sentimentos, no nosso bem-estar.


É isso.
SEJA DO BEM!

- jose valdir pereira - 



Nenhum comentário: