o poeta

o poeta
o poeta e sua mamãe

segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

A loucura que gosto, que gostas...




Teus versos sensuais me encheram o vazio que se apossava do meu coração, enquanto tuas palavras não vinham e me eram desconhecidas, as tuas carícias...

Vi em teus olhos todos os desejos que nunca imaginei havê-los...ardeu-me o coração, queimei-me todo, por dentro e por completo, naquele tanto que me fez enlouquecer...
vi em teu corpo a manifestação da ânsia de possuir-me ardentemente...era porque quem estava assim era o meu, e de tanto te querer, queimava-me...
dáva-me por perdida nos teus braços e arrematada dentro da noite sedenta do prazer que toma teu corpo de mim, me dando, em troca, a altura desvairada dos meus gemidos, ensandecida que sou quando me tomas toda e eu, como que a pulular como uma gota d´água numa lâmina em brasa...não paro...de louca!
E mais louco, tu, que de dás a loucura que gosto, que gostas!
(jose valdir pereira)

Nenhum comentário:

Postar um comentário